quarta-feira, 18 de fevereiro de 2009


Eu também sou uma singularidade... mas não sou só uma singularidade, e sim uma singularidade só. Sou uma aprendiz...
Mas como tudo que é singular, sou única, sou uma. Na verdade, sou muitas, mas uma de cada vez. Depende do clima, humor, lua, situação... Eis as particularidade que compõem o meu ser singular...

Sou unhas: posso ser esmalte vermelho ou francesinha (para ler minha mente, veja minhas unhas);
Sou cabelos: Chapinha ou dia de chuva (extremos de mim);
Sou olhos: vendo ele passar ou me vendo no espelho (são olhares totalmente diversos, mas os dois são eu);
Sou lábios: gloss tutti-frutti ou mordendo o inferior (entregando minhas intenções);
Sou pernas: bronzeadas no verão ou emaranhadas nas dele no inverno (como eu disse, dependo do clima);
Sou barriga: 300 abdominais ou gotinha de suor (a prova viva da coexistência);
Sou mãos: escrevendo ou ajeitando o cabelo (ah, as mãos servem pra tanta coisa)
Sou abraços: "prazer em conhecê-lo" ou "fica comigo pra sempre" (como eu disse, dependo da situação, mas sei abraçar dos dois jeitos);
Sou beijos: lento ou desesperado (dependo do que eu sentir, sei beijar de muitos jeitos);
Sou pensamentos: Teoria da relatividade ou ... (proibido nesse horário);
Mas principalmente, sou amores...
Afinal o amor é singularidade que mais comporta partiularidades...
-> amor amigo; amor irmão; amor desejo e amor paixão.
-> amor secreto; amor bandido; amor loucura e amor fingido.
-> amor discreto; amor que não pode ser; amor completo e amor prazer.
-> amor tímido; amor interno; amor ciúme e amor eterno.

Mas, me diz ... tem particularidade maior que as minhas digitais????

2 comentários:

Janete disse...

Admiro quem diz com palavras...

Anônimo disse...

Vivi, o que aconteceu com a tua inspiração? Sumiu, to com saudades de ler algo que me de inspiração, e podes crer que ela logo logo estará de volta.