domingo, 28 de junho de 2009

SoBre uMas cOisas & outraS...

Não sei porque, mas, muitas vezes, insiste-se em comparar (ou relacionar) coisas que não tem nada a ver. Partindo disso, nasce esta postagem. É claro que, como todo brasileiro que se preze, começa-se pelo mais simples e, se não der muita preguiça, passa-se para "um nível mais elevado do discurso"
Algumas observações, então:

SoBre PrínCipeS enCantadOs e SapOs.
Como foi dito anteriormente, esse tema é o mais fácil, é óbvio. Não se deve fazer essa comparação única e simplesmente porque sapos existem.

Agora, passa-se para um tema extremamente capcioso, digno de teorias, cabelos brancos e leis de Murphy:

SoBre ChaveS e ceLulareS.
Perde-se a hora. Atrapalha-se totalmente. Na hora de sair de casa, toca-se no bolso. Cadê o meu celular??!! Liga-se para ele e Viva!! ele começa a tocar debaixo das almofadas. Pega-se o celular, vai-se e se é feliz para sempre. Agora, imaginemos outra situação: Perde-se a hora (bem perdidinha). Na hora de sair de casa, toca-se no bolso. Cadê a minha chave??!! M&rd@ - Carvalho - Poha!! Simplesmente, não há o que se possa fazer. Ou vai-se sem a chave ou fica-se em casa. Achar uma chave quando se está atrasada é o mesmo que o inter conseguir ganhar de 5 x 2... não dá, sem chance...

Agora, a relação mais desbaratinante que pode haver e sobre a qual eu nem vou comentar. Fica só como reflexão:

SoBre olhOs e cOraçõeS.
"o que os olhos não vêem, o coração não sente"...
Na teoria, é bonito e animador, mas pondo-se na prática discordo, ou melhor, usando uma palavra novíssima, eu diria que eu "desconcordo", pois já tentei tomar isso por verdade. Mas não tomei, na verdade, me engasguei com essa mentira, tive que virar de cabeça pra baixo, me xacoalhar, mas essa verdade, admito, não consegui tomar... e do que eu não sei, eu não falo...

Príncipes e sapos, chaves e celulares, olhos e corações... não têm relação nenhuma, a não ser que nos convenha. Até porque, muitas vezes, a chave está ali na mesinha, bem na nossa frente.. o problema é que não conseguimos enxergar...


...e tudo porque eu ganhei um mouse novo.

sábado, 27 de junho de 2009

Sobre pedras o corações...


Quem nesta vida já não pensou que seria perfeito se pudéssemos substituir nossos corações por corações empedernidos? Eu particularmente, trocaria o meu, sem pestanejar, por uma arenita de cimento silicoso, aquelas de grãos bem juntinhos, que servem para amolar objetos cortantes, como o amor, por exemplo.
Mas isso nunca consegui lograr...
As únicas pedras que me surgiram foram as pedras no sapato. Já conheci quem as tivesse nos rins, mas, no coração, nunca!

Infelizmente, pedras não bombeiam sangue!!

Se bem que não duvido nada de que meu coração burro, mesmo se fosse uma pedra, ainda conseguisse se apaixonar. Afinal, o amor é assim, não deixa pedra sobre pedra.
_______________________________________
a foto é do endereço que segue: http://bp1.blogger.com/_BNUw8Itxp4Q/RelvDQtpckI/AAAAAAAAAOE/SIsrDPO-_rE/s200/old1.jpg

descrição deste sábado...

Dei-me o luxo de levantar as 10 horas, afinal, já é inverno e basta que eu levante as 8 horas nos demais dias da semana... Tem sol, abro toda a casa. Arrumo as coisas, faço isso apressadamente na tentativa de me aquecer. Escuto as crianças rindo ao brincar na rua; elas não sentem frio parece... Vou até a janela para olhá-las, fico a pensar que são os presentes que Deus deu para alguém.. Rio ao vê-las rindo, sinto-me tão besta... Enquanto elas querem ter logo 18 anos, eu quero ter 5!
Preciso de músicas para começar a fazer o almoço, sem música não há motivação. Ligo o pc, o que me obriga a checar meus 3 e-mail, dois orkutes, dois msn, facebook, sonico, netlog, wlm, e que me perdoe se eu esqueci de algum dos meus perfis. Ah é, quase ia esquecendo de pôr as músicas...
Enquanto espero que a comida se apronte, fico no solzinho, no pátio, a observar a bicharada que, ao contrário do que dizem, nao briga. Cão e gato dormem juntos no inverno, mas parecem ficar com vergonha quando alguém os surpreende. Quando resolvo entrar, o gato se para a miar para entrar junto e o cão a chorar por não saber o motivo da reclamação do outro.
Abro a porta e deixo que os dois entrem, mas peço-lhes que não contem à mãe. Depois de almoçar, lavo a louça, e retorno ao meu destino: pc. Dessa cadeira, observo o trajeto que o sol faz no céu. Tenho a impressão de estar perdendo de viver (mas não vou morrer por causa disso rsrs). Quando o sol deixa de me aquecer, é hora de aquecer mais água pro mate e pegar um cobertor.
Desligo o monitor, leio, escrevo, faço coraçõezinhos e estrelinhas no canto das folhas... acho que é enquanto penso porque depois nunca lembro de tê-los desenhado, muito menos de tê-los contornado tantas vezes! Deixo os livros, cadernos e materiais da facul de lado e ligo a tv. Desligo, como algo, penso.. a mãe deve estar chegando, a Raq também... ahh não quero mais ficar sozinha...
Olho mil vezes para a esquerda, à direita só tem uma parede, é verde, mas não me agrada mirar a minha sombra... meus cabelos estão arrepiados ou é impressão minha? Tiro uma foto na webCam para constatar.. hm, pensei que estava pior... Saudade da Taty, amiga de verdade...
A mãe chegou! \o/

o cúmulo

pobre aluna das Letras... surtando para variar.
Mas o assunto agora são os cúmulos!
As vezes, as coisas nos chocam tanto que nós mesmos nos surpreendemos com as nossas reações...
Esses tempo, eu andei por aí jurando que amava. Como sou boba... Bom, a questão é que eu misturei a colocação pronominal com os sentimentos. Hoje em dia, as pessoas se conhecem, se apaixonam, brigam, fazem as pazes e (quase) tudo mais pelo msn. Numa dessas brigas eu fui vítima de uma oração nada agradável... Vi estampado no meu monitor as seguintes palavrinhas:
me esquece

É claro que pra não sofrer, eu desviei o pensamento do sentido daqueleas palavras. Fiquei olhando para a tela e pensando... fora da norma... o pronome está anteposto ao verbo! a forma correta seria esqueça-me, assim com o pronome obliquo átono no lugar... pronome funcionando como objeto indireto.

E de que adianta toda essa regra se a maior delas não se pode quebrar? A única ação que eu desejei naquele momento foi a de arremessar o "objeto" diretamente pela janela!
Dá tudo na mesma... além disso as pessoas só pedem para que as esqueçamos porque sabem que esquecer (ou lembrar) é involuntário à nossa vontade... se a fala (ou a escrita) realizasse esse tipo de ação, garanto que ele não teria pedido isso...

Tatuagens & Amores... Amores & Algemas

*
Como eu já disse, acredito que eu nunca tenha tido uma tatuagem**. Os sentimentos que tive não passaram de figurinhas de chiclete dessas que saem com álcool. Mas tatuagem, gravada na pele mesmo, nunca tive.
Já pensei ter, mas depois de um banho quente e muitas lágrimas vi que não passava de mais uma figurinha derretendo e escorrendo ralo abaixo...
Ainda pior que amores tatuagens são amores algemas.. Aqueles que só possuem uma única chave e nem adianta ficar tentando abrir com outra, só vai machucar mais os pulsos que, a essas alturas, deixaram de pulsar...
Já tive um tatuador, mas, repito, uma tatuagem nunca!
Tatuagens marcam, Algemas escravizam, mas Amores... Amores matam...

Essa postagem vai pra muitas pessoas que eu conheço (ou ainda não) que sofrem pelas marcas do amor, mas, principalmente, vai para uma pessoa que infelizmente nunca poderá lê-la... uma pessoa que não acreditou quando lhe disseram que dor de amor passava, que os sorrisos voltariam, que outras pessoas o fariam ser feliz de novo. Enfim, para uma pessoa que prefiro não julgar, por não sabê-lo covarde ou corajoso... Prefiro acreditar que todas as pessoas têm um motivo para cometerem o que cometem...
Por fim (odeio a palavra 'fim'), advirto aos corajosos para que evitem as tatuagens, as algemas e os amores... podemos ser vazios, mas estaremos vivos...
____________________________________________
*na foto, minhas mãos e as algemas que só os burros conseguem ver
**amor verdadeiro e duradouro.

Algumas verdades sobre o amor:

as chaves só podem abrir na medida em que trancaram...
as peças de um quebra-cabeças só se encaixam se estiverem nos seus lugares certos...
um braço quebrado vai sarar um dia...
existem coisas mais afiadas que facas e tesouras...
o celular pode ser a pior arma durante uma bebedeira...
agulhas tapam furos, mas espetam...
escolher entre as infinitas cores de esmalte é tarefa dificil, quase sempre escolhemos errado...
lembranças de inverno nunca ficam na memória...
colecionar fotos não ressussita pessoas...
o ser humano é capaz de sentir, de fato, um cheiro ao lembrá-lo...
luzes no cabelo não acendem as lamparinas do juízo...
ser ator da vida não traz sucesso...
planos não dão certo nem para pink e cérebro...
certos corações tocam mais que as mãos...
música é um remédio não encontrado nas farmácias...
mas seu uso indevido retarda a regeneração do músculo cardíaco...
réguas não medem sentimentos...
saudade foi a pior invenção da humanidade...
lãmpadas econômicas deixam o ambiente morno...
as lâmpadas normais não se pode mais usar porque causam danos...
o cabo USB, ao contrário do que dizem, não transfere tudo...
o bluetooth, assim de longe, muito menos...
nos dias alegres, não se percebe os ponteiros do relógio...
sol, casacos e cobertores nem sempre aquecem por completo...
jaulas impalpáveis existem...
fitas k-7, que muito emocionaram, são esquecidas...
e, por fim...
se você encher demais o balão, ele estoura, se você o encher na medida exata, ela vai durar por um tempo até começar a esvaziar... no fim de tudo, aquilo que antes enfeitava, agora, não passa de um vazio, sem vida e sem ar...

...

que pena! eu amei aquele balão...

quinta-feira, 25 de junho de 2009

a relatividade das coisas...

Grande parte das pessoas diziam que ele já estava ficando velho. Agora, dizem que morreu tão jovem... Os que o acusaram, agora, dizem-se fãs, choram a sua morte! Os que mal conheciam seu trabalho, chamam-no "o rei do pop"... pura reprodução da fala alheia.
Não sei se se arrependeram, se bateu culpa ou se estão indo na modinha de chorar a morte de um artista mundialmente (re)conhecido.
Eu não era fã, confesso, por isso não vou ficar assistindo à tv o dia inteiro, enquanto eles repetem, por horas e horas, a única informação que têm - "M.J. morre de parada cardáca". Também não vou colocar uma música dele no meu orkut, não vou tocar um CD dele bem alto aqui em casa pra dizerem "óóh, ela tá sofrendo pela morte do ídolo!", e nem vou baixar as músicas dele (caso eu não tenha um CD). E eu, simplesmente, não vou fazer isso pelo mesmo motivo que não fiz ontem, nem antes de ontem e assim regressivamente...
Os fãs de verdade choram baixinho... não botam slides com imagens tocantes do ser que nunca mais se poderá ver pessoalmente outra vez... é crueldade faze isso! Mas dá ibope... fazer o quê? Só resta assistir...
- Bota na globo aí, mãe.. tá dando sbre o Michael Jackson...

segunda-feira, 22 de junho de 2009

Da Vivi para o Tiago:














































Sabe, Tí*... a gente tem essa mania de cobrar o amor. Mas sempre que o amor vem porque quisemos retribuição, vamos percebendo, com o passar do tempo, que não valeu a pena. Amor (atenção, carinho e sinceridade) deve ser dado sem pedir nada em troca, senão tu não estás dando amor, estás vendendo e, aí sim, é crime.
Dói, não é mesmo? Quem ama, quer ser amado.. É regra sem excessão... mas se esse negócio de amar fosse fácil, não teríamos tantos psicólogos, tantos escritores e tantas farmácias ganhando dinheiro às nossas custas.. rs.. É isso, meu caro, alguém tem que lucrar com a dor da gente. Mas pense que quando o mundo der meia volta, tu é que vais estar por cima. Te desejo sorte, sempre, sempre...
Beijos no teu coração.

Quanto a foto foto da capa, te confesso que é uma incógnita pra mim também.. o que eu poderia dizer dela é que se a presença dos sorrisos demonstram a presença da felicidade, então a ausência de sorrisos deve demonstrar a ausência da felicidade. E quando fechamos os olhos, estamos tentando buscar uma lembrança, lá no nosso escuro-interno, lá onde só a gente pode ver... O que eu vi dentro de mim naquele dia (da foto) eu não consegui alcançar, mas felizmente eu consegui voltar a sorrir.
A gente sempre volta a sorrir...
_____________________________________________
* Tí é proprietário do blog http://tiagocomvc.blogspot.com/

sábado, 20 de junho de 2009

30 coisas a se fazer antes dos 30 anos

  1. ( )beber uma garrafa de tequila
  2. ( )transar com um dos seus melhores amigos (porque eu faria isso?)
  3. (x)encontrar com alguém da net (amigos)
  4. ( )fazer uma tatoo (faço na hora, só me falta encontrar um tatuador que não fique comigo pra atingir o meu ex-namorado, que ódio!!)
  5. ( )subir em um palco e dançar loucamente (nem preciso de palco)
  6. (x)fugir de casa (quando pequena sim, né.. ninguém já adulto foge de casa¬¬)
  7. ( )pular de bumg jump
  8. (x)matar aula pra ir no boteco (direeeeto)
  9. ( )passear sem calcinha (cueca) (passeios curtos, do banheiro pro quarto, somente)
  10. ( )agarrar seu amor platônico (jamais, imagina se ele deixa de ser platônico, eu não saberia o que fazer!)
  11. (x)Fingir ser estrangeiro e falar um idioma que não existe (tudo para não receber os mórmons)
  12. (x)ficar com alguém 10 anos mais velho que você (até 16 - normal e 6 anos mais novo também, sem problema)
  13. (x)sair de casa na sexta a noite e voltar na segunda de manhã (quando fiquei de caseira na casa da Eva)
  14. (x)dormir com a roupa que saiu depois de um porre (dormi no tapete do banheiro – tapetinho voador)
  15. ( )ir a praia de nudismo
  16. ( )ficar com seu professor (quando penso nas opções, digo: creeedo!)
  17. ( )roubar o namorado de alguém (porque eu faria isso? é mais idiota que transar com o melhor amigo)
  18. (x)ir pra escola bêbada (só uma vez – contabilidade-noturno)
  19. ( )se apaixonar a 1ª vista
  20. (x)usar a melhor roupa pra ir ao mercado (pensei que alguém ia estar lá ué)
  21. (x)sair com o melhor amigo do seu ex (grande vingança.. huuu)
  22. ( )pintar o cabelo de uma cor absurda (é que não sei o que eu mesma entendo por absurdo)
  23. (x)chorar vendo um desenho (vale baby, o porquinho atrapalhado - a parte que ele salva o cachorro mau de se afogar. Cara, o porquinho teve dó do seu próprio carrasco. Mas ganhou um amigo. Viva o Baby!!)
  24. (x)beber ate ter amnésia alcoólica (não posso contar detalhes, porque não lembro de nada, eu devia ter uns 16 anos)
  25. ( )aprender a tocar algum instrumento (acho que esse negócio é dom, nasce com a pessoa, mas um dia quero tentar)
  26. (x)ter um diário secreto (tenho 7, no estilo Bridget Jones, contando os micos sinceramente)
  27. (x)beijar um passante (carnaval é carnaval, mas nem por isso desconhecidos)
  28. ( )ir numa formatura de short e chinelo (depende do contexto)
  29. (x)pegar carona com desconhecido (mea culpa - luau)
  30. ( )dormir na rua (só porque a Simone não deixou)
Ainda me faltam algumas coisas.. na verdade, fora a praia de nudismo e aprender a tocar um instrumento, o restante não faço questão...

Como eu aprendi a não sofrer

-Tem coisa pior que pessoas que se amam e não podem ficar juntas?
-Tem sim, pode ter certeza.. só que, agora, não me ocorre nenhuma


Há muitíssimo tempo, eu li algo que dizia que todas as pessoas que passarem por nossas vidas irão nos machucar. O que temos que fazer é decidir por quem vale a pena sofrer. Bingo!
Há muito tempo, eu li algo que dizia que as coisas só tem a importância que damos a elas. Bingo de novo!
Há pouco tempo, eu li algo que dizia que a dor é inevitável, mas o sofrimento é opcional. Bingo, bingo, bingo!
E ontem, o Paulão da academia me pegou com o pensamento longe e disse "para de pensar Vivizinha, que pensar no muda nada" Será possível!! É bingo de novo!

O que fiz foi abrir a minha cabeça e jogar lá pra dentro a fala desses experientes homens...
Se deu certo?
Em parte, sim. Realmente, é verdade, a dor é inevitável. Mas parei de sofrer, parei de dar importância a coisas e a pessoas que não me davam importância. Decidi que não vale a pena sofrer por certas pessoas. Na verdade, por estas, o que vale mesmo é ser feliz..
Perto, longe.. não importa...

______________________________________________
Apesar de o dia 18 de junho ser sempre o pior dia do ano para mim, confesso que esse ano ele passou despercebido. Acho que já estava até anoitecendo quando vi que o calendário marcava "18/06/09". Um viva" para mim.
O dia de ontem, sim, teve de um tudo! Só não acabou em morte porque a distância não permitiu. Pra contar o que aconteceu, vou usar o estilo "listagem" da Bridget Jones:
Visita ao asilo: 01
Casamento na roça: 02
Guantanamera: 50
Falta de ar: 01
Amiga desaparecida: 01
Amigas preocupadas: 04
Amiga encontrada: 01
Amigas p. da vida: 02
Torradinhas com guacamole: 10
Pimenta dedo-de-moça: 1/10
Beijos na boca: 00
Pedidos de casamento: 01
Fantasmas vistos: 01
Mensagem na madrugada: 01
Chamadas na madrugada: 02
Mensagem em off: 01 \o/
Levantadas no meio da noite: 02
Desculpas esfarrafadas: 03
Socos do Sandro: 1 e 1/2
Slides vistos: 123
Copos de quentão: 03

terça-feira, 16 de junho de 2009

Ataques de Mary Jane Watson

Desabafo de uma mulher (que ainda espera um super-heroi) incompreendida.
Não importa o que eu faça, se eu disser que amo ou se disser que odeio, sempre vou estar mentindo.
Se eu mato, sou cruel. Se morro, sou covarde.
Oito é muito pouco, 80 é demais!
Se agrado os troianos, recebo presente dos gregos. Se fico do lado dos gregos, Páris perde sua Helena.
Se a comida não está salgada demais, está sem gosto.
Quando eu falo baixo, não me ouvem. Quando eu grito, não tenho "modos".
Se escrevo no blog, é porque estou triste. Se fico sem escrever, também é porque estou triste!!
Se falo (ou escrevo) o que penso, não tenho coração. Se me calo e guardo pra mim, não sei me abrir.
Se choro, é porque sou fresca, se não choro, não tenho sentimentos.
Se atendo o celular, xii é homem. Se ignoro a chamada, é homem, mas aprontou comigo.
Se leio Nietzsche, sou metida a adulta. Se leio o Homem-Aranha, sou infantil.

Porque é que não dá pra agradar todo (o) mundo?
As pessoas pensam coisas diferntes a partir de uma mesma atitude minha. Já não sei se ajo por elas ou por mim...
Só sei que sempre que agi por mim mesma, eu:
Amei... Morri... Fui 80... Agradei os troianos... Salguei a comida... Sussurrei... Escrevi no blog... Me calei... Chorei... Ignorei as chamadas... E quer saber do que mais... Eu trocaria tudo o que tenho, se Peter Park viesse até a minha janela essa noite.

sábado, 13 de junho de 2009

FRÁGIL

Eu sobrevivi ao dia dos abandonados!! \o/
Mas não me sacode muito que tô frágil ainda.

Bom, falando sério.. parece que sobrevivi mesmo ao dia [mês] dos namorados. Tá.. e daí.. grande coisa... Eu continuo furiosa, ansiosa e, principalmente, com o estômago embrulhado - e não é para presente. Ao sobreviver ao 12 de junho, tem-se duas alternativas para se (sub)viver o dia 13: sentir-se orgulhosa por ter superado sozinha o dia dos casais, ou deprimir-se ao lembrar qua ano que vem tem toda essa papagaiada de novo.
E que solteiro ainda tem saco para aturar as propagandas de PreSenteie Seu Amor, as rifas da escola, os "descontos" nas lojas - leve com amor, mas pague com grana - e tudo mais que o dia 12 promove.. Um viva ao capitalismo!
Ninguém se importa se o seu namoro vai acabar hoje, contanto que você tenha comprado algo bem caro ontem. Falta de romantismo da minha parte? Ah... quer saber, romantismo só pagando adiantado.

Pessoas legais moram longe...


As pessoas entram em nossa vida por acaso, Mas não é por acaso que elas permanecem Lilian Tonet (?)
Com certeza, Lilian (?) está coberta de razão! De todos os convites que ela aceitou naquele sábado a noite, só um continua lá, entre as pessoas do seu msn. Se ele é de verdade, ou não, não importa. A questão é que hoje é sabado e o sol está brilhando lá fora, e isto foi o que ela desejou pra ele; Sábados e raios de sol*, por toda a vida...





_______________________
*E eu te desejo raios de luz e sábados
Noites perfeitas e estreladas
Sonhos doces e raios de lua
E um amor morno e brilhante
Raios de luz e sábados
Amizade forte e verdadeira
Oceanos de azul e um quarto com uma vista
Para viver a vida que você escolher
Vertical Horizon -
Sunrays And Saturdays (tradução)

sexta-feira, 12 de junho de 2009

Tô dizendo...








"Arroz & Feijão - TCC em ação

Enganei o barroco, na casca do ovo!

Não adianta! Minha mente está bloqueada, porque tenho um assunto em haver e, até que eu o resolva por completo, estarei assim, bloqueada para produzir - ou bloqueando, depende do contexto. Provavelmente, todas as postagens desde fevereiro tenham sido umas porcarias por causa dessa interferência, me desculpem os que leem, mas eu não consigo ficar sem escrever, ainda que seja só para dizer que não vou ou não consigo escrever nada.
Já que não consigo produzir, pensei em relembrar fatos. Na época, passou batido, mas agora, creio que já refleti sobre o assunto, portanto, posso falar sobre. Como diria vovó, "pra morrê, basta tá vivo"

A seguir, transcrevo a dramatização do conto "Uma noite no hospital", ocorrido dia 01/04/09.

- Simone no hospital!!?? Como assim! Só pode ser piadinha de dia dos bobos. Caraca, o Schlee estava vindo pra Jaguarão e a maluca estava lá, deitadona numa cama de hospital, com soro enfiado no braço. Não sei se foi porque fiquei impressionada de ver mamãe naquela situação ou o que, mas aquele troço parecia do tamanho de um garrafão de 5 litros de vinho!
E era todo mundo querendo saber notícias ao mesmo tempo. E eu já não sabia para quem eu tinha que exagerar, para quem eu tinha que amenizar a situação e para quem eu tinha que dizer a verdade!! [Sabe como é né.. charme é charme em qualquer situação.] Estava ficando louca. Para não enlouquecer sozinha, fomos visitá-la - Mi e eu. Chegando lá, encontramos o papai K. E não é que até no hospital fizemos bagunça. Mi e eu nos perdemos lá dentro. Dá pra acreditar que a gente deu toda a volta no hopital, subimos por uma escada, descemos por outra. Estava legal a brincadeira, mas já estava ficando tarde.. Até que enfim, nos achamos - ou nos acharam, nem lembro...
A mãe tava lá, deitadona, com um livro e um abajurzinho brega. Nunca mais esquecerei aquela cena. Me assustei... só faltava forçarem-na a fazer tricô!! O baque foi tão grande que quase gritei. Mas não quis deixá-la nervosa, afinal, mãe sente o mesmo que a gente.
Sorri!
Ela sorriu.
Pensei que estava tudo bem.
Mas aí vem a bomba; - "Acho que vai ter que se operar em Pelotas".
"Ó mai gódiii" - pensei.
Então, a coisa é grave. Ela estava rindo pra nos agradar... Fui embora triste, mas sempre sorrindo para não assustar ela... Tadinha da mamãe...
Fiquei sabendo que ela ia fazer uns exames e conforme o resultado, já iria direto pra Pelotas. Já estávamos nos organizando pra ajudar de alguma maneira. Uma ia tentar distrair as crianças e o tio, outra explicava a situação na faculdade, outra queria se oferecer pra ir junto, todas pensávamos em explicar para o Schlee o porque de a exibidona do vídeo não estar presente na tão esperada noite com o nosso escritor do core... Tudo em vão...
Tudo em vão... Ao lembrar quase choro.. não consigo conter as lágrimas... Inevitável não faltar-me a respiração...
Como eu acabo de dizer, tudo foi em vão. Ao lembrar o que aconteceu no dia seguinte, eu quase choro - de tanto rir. [huehue] A maluca se deu alta e foi pra casa. Cansou de ficar no hospital!
Cansou de bricar de paciente, perdeu a paciência!

Como assim, digo eu!!

sob forte influência de NON STOP

Dia dos namorados... o que é que eu vou fazer?
Enquanto todos os casaisinhos (?) estão passeando ou trocando presentes com seus amados (ou viajando.. aiii que ódio)... eu estou aqui, sozinha. Porque será que tudo (ou melhor, nada) só acontece comigo? Ah! Lembrei; é porque a culpa é minha! E põe culpa nisso! Lembrei que eu não tenho direito de reclamar um namorado, se eu mesma dispensei os possíveis pretendentes, por causa de um que não chegou até hoje.
AGORA, me arrependi! Mas, AGORA, é tarde!
Não é que eu quisesse um qualquer só para chamar de namorado. Ao contrário, exijo um príncipe, não me contento com um humilde sapo! E foi exatamente por querer o príncipe que eu nem atentei para o fato de que alguns sapinhos poderiam ter se transformado em príncipes depois do beijo, só que eu não fiquei lá para esperar que isso acontecesse. Depois que eu descobri que não importa o quanto se conviva com uma pessoa, pois nunca a conheceremos de verdade, eu perdi o ânimo para sair e tentar conhecer alguém legal, porque sei que vai acabar virando alguém não tão legal assim...
No fundo, no fundo... Foi pra me poupar que eu fiz tudo isso, e olha que foi inconscientemente... [hahaha] Nem fiquei triste... comparado ao ano passado, este está sendo bem "menos pior"..

sábado, 6 de junho de 2009

A história do adeus

Quer ouvir uma história triste?
Agora acredito no destino, comprovei que ele existe.
Fui apaixonada por um virtual amigo.
Tivemos uma história, mas tudo acabou e eu nem ligo.
O que houve no passado foi coisa de criança.
O que para ele hoje é nada, para mim é esperança.
Devo me acostumar à distância, porque ele vai embora.
E o que deixamos pra depois, só podemos fazer agora!
Estou triste como nunca, mas não demonstro a ninguém.
Prefiro sofrer sozinha a preocupar quem me quer bem.

Mas tenho que dizer-lhe adeus, preciso achá-lo!
Para onde ele foi? E se eu não alcançá-lo?
Enquanto eu corria para me despedir,
Uma velha agarrou-me do braço e não me deixou sair.
Ela me olhou bem e disse algo que não vou esquecer:
"Se você não lhe disser adeus, ele continuará pensando em você".
Saí correndo com aquelas palavras na mente.
Não importaria o que eu dissesse, ele jamais esqueceria da gente.

Cheguei a tempo, como se tudo esperasse por mim.
Eu não sabia o que fazer! Como agir, se era o fim?
Meus olhos se encheram de lágrimas, sabendo que não voltaria.
Lembrava-me do nosso passado e meu coração se partia.
O único som que eu ouvia eram dos meus pensamentos.
Como solitários no mundo, o silêncio trazia à mente os momentos.
Quando chegada a hora da partida, nos seus olhos eu olhei.
E mesmo sabendo que não mais o veria, "até logo" lhe falei.

...a esperança ficou assistindo a tudo em silêncio...

sexta-feira, 5 de junho de 2009

Começo esta postagem esclarecendo que estou com muitos enjoos e, principalmente, com meu estado de espírito plenamente abalado! Portanto... a vida não é mais bela, os passarinhos pararam de cantar, e o céu não está azul...
Hoje nao está um bom dia pra ensaiar, hoje está bom pra escrever...
Bom, levando em conta que, hoje em dia, a maioria de nós, deixou de viver e passou a encenar - sem perceber que toda encenação parte da vida real -, eu pensei em escrever sobre isso um capítulo da minha vida, que não passa de mais um conto de fatalidades.

Era uma vez...
Ela olhava para seus pés enquanto caminhava pela feira...Se distraia com tudo!
Só conseguia pensar em quantas carruagens poderiam ter gerado aquelas abóboras... E as pessoas iriam comê-las! Pensou que as pessoas eram injustas com as meninas que ficariam limpando o chão na noite do baile.
Seguiu caminhando e, quando olhou para o alto de um prédio, viu uma moça bonita penteando seu enorme cabelo na janela. Sorriu para a moça como quem soubesse de seus segredo: jogaria as tranças para que seu principe pudese subir lá em cima e vê-la todas as noites... Quis contar para a moça que, quando seu principe ficasse cego por causa dos espinhos, as lágrimas dela o curariam, mas não teve tempo, a moça fechou a janela.
Preocupada, esbarrou em um senhor. Pensou que aquele homem com uma corcunda enorme morava na Catedral de Notre Dame. Preocupou-se por achar que os sinos não seriam tocados, em Paris, naquela manhã... Sabia que ele tinha bons sentimentos e que conversava com gárgulas. Elas não se importavam com sua aparência e, por isso, ela também não se importava. Sorriu para o homem... As aparências poderiam enganar a muitos, mas não a ela.

Mas o que ela poderia saber sobre isso, era só uma criança.

terça-feira, 2 de junho de 2009

Vãos...

Ultimamente, nem tenho chorado.
Será que se acabaram as lágrimas?
Sim, as lágrimas,
Porque a dor continua aqui
E já é sua morada meu peito.
Alimenta-se de recordações - e cresce
Quando, à noite, tento dormir
Reviro-me em vão...
... e enfim amanheço
Para outra vez te lembrar.

A vida é maravilhosa, se não se tem medo dela.

Bom... os sentimentos estão menos confusos. Só ainda não achei respostas para perguntas que eu passei a me fazer depois de certos fatos. Infelizmente, por mais que eu queira me enganar, sei que "contra fatos, não há argumentos". Como pode um ser humano ser tão desumano consigo mesmo? Agora, umas perguntas retóricas... nada que se precise responder. - Como é ter que viver tentando se convencer de que o que se tem é bom, só porque admitir que não é forçaria a tomada de uma atitude? - Como é viver os dias imaginando como as coisas estariam agora? - Como é não perceber que se está buscando motivos para amar alguém que não ama - ou para não amar alguém que ama? - Como são e como serão os dias de alguém que fez a escolha errada? Ainda que essas perguntas tivessem respostas (e acho que elas não têm), acredito que elas não seriam tão lascivas quanto a angústia de esperar pelo que nunca chega.. é como eu digo, inverta os papeis e veja se conseguiria suportar, só então discuta... Deve ser difícil voltar a se convencer que se ama alguém a quem já tinha pensado não querer mais... Deve ser triste... buscar motivos para manter-se com alguém, um alguém que não se queria mais... Não sei porque, mas penso que deve ser triste...
Têm algumas coisas na vida que a gente só passa a entender quando vive ativamente. Na condição passiva, além de não entendermos, não aceitamos. Só que a vida... a vida é uma caixinha de surpresas. Adoto como lei na vida o colocar-se no lugar do outro para ver como realmente é... se ainda assim não concordarmos com a escolha ou opinião do outro, aí sim temos direito de discutir. Para me fazer entender melhor, senta que lá vem história... E essa começa quando uma moça leu o...

Manual da Amante Esperançosa.
Passo nº 1: Perca a esperança.
Passo nº 2: Recolha-se a sua condição extra-matrimonial.
Passo nº 3: Diga sempre que o ama, assista futebol, pegue cerveja, faça amor com ele na hora da novela, dance nua para ele, nunca esqueça de dizer que o ama.
Passo nº 4: Nunca faça exigências, nem cobranças. Não chore, não fique triste, não menstrue, sorria sempre que ele te olhar, acorde bonita.
Se seguir esses passos, você obterá por resultado: Amante nota 10!
Parabéns, assim, você é a mulher que todo homem vai querer ter por perto, mas que nunca irá apresentar aos amigos. Aquelas promessas de te promover à esposa foram, provavelmente, uma tática do "chefe" para que você rendesse mais.

A moça nunca se perdoou por ter lido somente até o passo nº 4. Seguiu tudo e a aliança nunca chegou.
Dá pra acreditar que a coitadinha estava tão desesperada a ponto de seguir este guia que a tornaria uma (sub)mulher perfeita!? Mas se o que não tem remédio, remediado está, a moça teve um "Ás" na manga... Rasgou o manual, tomou um bom banho, chorou muito tomando banho e largou tudo. Viu que o "mais pro futuro..." do qual seu amado tanto falara não existiria.
Ela arranjou alguém e casou. Em seguida, ela arranjou um amante... Ele dizia que a amava, assistia a novela a seu lado, buscava a cerveja, fazia amor com ela durante o futebol, dançava nu para ela. Nunca exigia nada, nem fazia cobranças. Não roncava, acordava bonito.

Engraçado como depois de tudo isso, ela não quis promovê-lo a marido. E porque iria querê-lo? Maridos roncam, trabalham demais, nunca dizem que ama,m fazem cobranças, acordam feios. Seria burrice transformar o amante perfeito no marido imperfeito!

Foi aí que ela começou a entender a atitude tomada pelo seu antigo "amor". Ela fazia as famosas coisas simples serem diferentes...
Agora, ela entendera tudo! Amante é a mulher que o homem jamais se permitirá ter como esposa ou namorada... por medo de torná-la imperfeita, por medo de torná-la o que ele já tem em casa e não lhe causa surpresas. Não, não com você! A namorada ou esposa está ali porque tem que estar, acomodou-se... porque infelizmente, algumas pessoas nasceram para menstruar. A amante está ali porque quer estar, porque gosta de estar.

Lembram do babaca da primeira parte da história? Pois bem, o "mais pro futuro..." do qual ele tanto falava chegou. Dizem que ele se arrependeu de não ter abandonado certas coisas sem sentido para ficar com a moça. E de que adianta arrepender-se quando já é tão tarde?
Essa parte eu não sei se é verdade, mas dizem que ele foi procurá-la quando a esposa o largou e ela o aceitou... como amante, é claro. Afinal, não largaria seu marido por nada!
Possíveis ocorrências durante uma fuga:
Primeiro de tudo: o tropeção. Ninguém está livre de dar uma topada em pleno nada. E não adianta ficar olhando em volta, procurando motivos... quando sabe-se que a culpa é do próprio fugitivo.
Outra possível ocorrência é alguém se meter na frente. Haja saco! Demora-se muito tempo para decidir fugir e, quando finalmente se decide, vem alguém completamente alheio ao assunto e diz para que se pense melhor... - Lições de moral agora não! Estou fugindo, poxa!
Mas, na humilde opinião do ente que escreve, a pior ocorrência que pode haver é conseguir fugir. É chegar lá, longe de tudo e todos de quem se queria distância. É conseguir, mas, ao conseguir, desejar nunca ter conseguido. E é justamente quando se decide voltar, por sentir falta, que ninguém mais sente a falta do desertor.
Quem foge sempre se arrepende quando já é demasiado tarde.


A tarde vai... vadia e mítica...